terça-feira, 5 de junho de 2018

MARAVILHA


Museu de Arte de São Paulo - MASP









Localizado no coração da cidade, Avenida Paulista, o Masp – Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand – é um dos mais importantes museus do hemisfério Sul e um dos principais cartões-postais da cidade. Está na lista das dez atrações turísticas mais visitadas de São Paulo e, às terças, oferece visita gratuita ao público em geral. Nos demais dias, de quarta a domingo, o ingresso custa R$ 15.

O Masp é um dos locais mais frequentados da cidade e encanta seus visitantes com um acervo de cerca de oito mil peças. Possui obras de grandes nomes da pintura nacional (Cândido Portinari, Di Cavalcanti, Anita Malfatti e Almeida Junior) e internacional (Rafael, Mantegna, Botticceli, Delacroix, Renoir, Monet, Cèzanne, Picasso, Modigliani, Toulouse-Lautrec, Van Gogh, Matisse e Chagall).

Masp. Foto: Jose Cordeiro/SPTuris.

Grande parte do núcleo de arte europeia do Masp é composta de pintura francesa, como os quatro retratos das filhas de Luiz XV, pintados por Nattier, ou as alegorias das quatro estações de Delacroix. Do movimento impressionista, encontram-se obras de Renoir, Manet, Monet, Cézanne e Degas. Dos pós-impressionistas, é possível ver quadros de Van Gogh e de Toulouse-Lautrec. Um dos destaques do acervo é o espaço dedicado à coleção de esculturas de Edgar Degas, em bronze e com 73 peças.

Há ainda exposições temporárias, que apresentam os mais variados temas ou suportes. Como exposições nacionais e internacionais de arte contemporânea, fotografia, design e arquitetura que se revezam durante o ano, trazendo ao público um universo de imagens. O visitante sempre encontra uma novidade ao visitar o local.

Atividades socioculturais do Masp

O Masp também é um centro cultural de excelência no país, já que abriga escola de arte, ateliês, pinacoteca, biblioteca, fototeca, filmoteca, videoteca; e oferece cursos de artes e serviço educativo de apoio às exposições, exibição de filmes e concertos musicais de interesse artístico e cultural, como projetos musicais, cinema e palestras. Os dois auditórios projetados por Lina Bo Bardi destinam-se a essas atividades, cujo calendário é cheio durante o ano todo (a programação pode ser conferida no site).

Para os pequenos, há um espaço onde podem desenhar, pintar, soltar a imaginação e a criatividade. Pessoas com necessidades especiais também podem visitar o Masp, pois o prédio possui entrada acessível, quatro banheiros adaptados e elevadores. As obras de arte são expostas em altura adequada e há sinalização para deficientes visuais.

Arquitetura: moderna e única

Outro ponto que atrai os visitantes é a arquitetura, uma construção modernista que encanta por possuir forma diferente dos edifícios convencionais. Em construção civil, é o único no mundo com o corpo principal pousado sobre quatro pilares laterais, que formam um vão livre de 74 metros de extensão. O vão livre do Masp, como é conhecido, foi palco dos mais variados eventos e, aos domingos, recebe uma feira de antiguidades.

As janelas de vidro escuro em contraponto às colunas vermelhas também contribuem para embelezar o prédio e, no lado dos fundos, proporcionam ao visitante uma linda vista do centro da cidade e da Serra da Cantareira – a conservação da vista foi determinada pela Prefeitura de São Paulo, que doou o terreno.

No prédio, ainda há uma cafeteria, uma loja com livros, obras de arte e lembrancinhas do Masp, e um restaurante que serve, a cada dia, um prato inspirado na culinária de diferentes partes do mundo.

Um pouco da história do Masp

Desde a fundação, o museu recebeu centenas de exposições de artistas internacionais, através do intercâmbio de obras com diversos museus do mundo e foi sede de instituições renomadas, como a ESPM – Escola Superior de Propaganda e Marketing e a escola de artes da Faap – Fundação Armando Alvares Penteado. A Mostra Internacional de Cinema também iniciou atividades no museu.

Sua história vem desde antes da inauguração e teve início quando Assis Chateaubriand, fundador e proprietário dos Diários e Emissoras Associados, começou a arrecadar fundos para a construção e aquisição das obras. As primeiras obras de arte foram selecionadas pessoalmente pelo professor Pietro Maria Bardi, jornalista e crítico de arte italiana recém-chegado ao Brasil, em inúmeras viagens com Assis Chateaubriand.



Masp. Foto: Jose Cordeiro/SPTuris.

A inauguração ocorreu em 1968 e contou com a presença da Rainha Elizabeth II da Inglaterra, além de outras autoridades brasileiras. O prédio do museu foi projetado por Lina Bo Bardi, esposa do professor Bardi, e demorou 12 anos para ser concluído. Durante a realização, as obras de arte passaram por vários países e, quando chegaram à nova sede do museu, já eram respeitadas nacional e internacionalmente.

Em 1982, o Masp foi tombado pelo Condephaat – Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado e, em 2003, pelo Iphan – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Atualmente, integra o “Clube dos 19”, por possuir acervo de arte europeia do século 19.

Em 1990, as colunas do edifício foram pintadas de vermelho, em homenagem aos 40 anos do museu. Na reforma de 1997, o prédio recebeu um terceiro andar subsolo, onde ficam as peças do acervo que não estão em exposição.

Em 2015, o Masp e a Suvinil retomam a antiga parceria com uma nova revitalização do museu, que tem início em maio e deve ser concluída até o fim de julho.

Serviço:


End.: Avenida Paulista, 1578 – Bela Vista – São Paulo (próximo à estação do metrô Trianon-Masp).
Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 18h (bilheteria aberta até 17h30). Quinta-feira, das 10h às 20h (bilheteria até 19h30).
Tel.: (11) 3251-5644.