sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Ação de governo



Governo autoriza liberação de recursos para as guardas municipais
Decreto assinado pelo governador integra recursos da Secretaria Estadual de Segurança Pública a guardas municipais, PM e Polícia Civil
sex, 24/11/2017 - 19h25 | Do Portal do Governo







O governador Geraldo Alckmin assinou um decreto para regulamentar a Lei nº 16.111, de janeiro de 2016. Agora o Estado de SP pode liberar recursos da Secretaria Estadual de Segurança Pública também para as guardas municipais. Antes desta sanção da lei e da regulamentação do decreto, não havia essa possibilidade.

“Quero ressaltar que o Brasil precisa fortalecer cada vez mais o governo local mais perto da população. Agora vamos fazer bons projetos para gente poder já liberar os primeiros recursos para as nossas guarda civis”, disse Alckmin.

A partir de agora as guardas municipais podem adquirir veículos equipados, comprar coletes à prova de balas e uniformes com a ajuda do Estado. Na prática, as guardas municipais trabalham em conjunto com a Polícia Militar na manutenção da segurança do Estado. Isso justifica o investimento na melhoria dos equipamentos da corporação.
 
O decreto estabelece que os municípios interessados celebrem convênios com a Secretaria para que os recursos possam ser transferidos. O texto também determina que o plano de trabalho seja específico de cada guarda municipal. Assim, indique a convergência de interesse com as atividades de segurança pública a cargo do Estado.

A partir de agora, o Estado passa a apoiar a segurança por meio das guardas municipais, da Polícia Militar e da Polícia Civil, como determina a Constituição Federal.


Monotrilho: Estação Congonhas terá lançamento de viga-guia
Operação acontece na noite desta sexta (24) e se estende pela madrugada do sábado, com interdição parcial da Av. Washington Luís
sex, 24/11/2017 - 18h46 | Do Portal do Governo


Na noite desta sexta-feira (24) está previsto o lançamento da viga-guia No. 42 A-L16, localizada ao lado da Estação Congonhas da Linha 17 (Av. Washington Luís, esquina com Rua Vieira de Morais).

A viga-guia tem 30 metros de comprimento e 95 toneladas de peso, com 90m de raio de curvatura.

Os serviços têm início previsto para as 22 horas e a guia deverá ser içada, aproximadamente, entre meia-noite e meia e 1h do sábado, com o término previsto para acontecer até as 5h do sábado. Haverá necessidade de interdição parcial da Av. Washington Luís, sentido centro-bairro, a partir das 23 horas de hoje.

Os serviços serão realizados com dois guindastes, com 220 toneladas de capacidade cada um e que trabalharão simultaneamente.

A atividade faz parte do contrato 4220921301, firmado com o Consórcio Monotrilho Integração (CMI) – composto pelas empresas Andrade Gutierrez, CR Almeida, MPE e Scomi.

Já foram lançadas 420 vigas do Trecho 1, de um total de 551, representando 76% do total. Atualmente, estão em lançamento as vigas curvas (raio menor que 400m), depois da desinterdição desta atividade realizada no último dia 29 de agosto pela Superintendência das Relações do Trabalho e Emprego (SRTE).

Dessa forma, no momento, todas as vigas foram lançadas desde a Estação Jardim Aeroporto até a Estação Chucri Zaidan, praticamente em toda a extensão da Av. Roberto Marinho, faltando somente o lançamento no trecho da Marginal Pinheiros e parte da Av. Washington Luís.

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Boas mentiras



Estado de São Paulo registra queda nos principais índices criminais





  • 25/10/2017 19h35
  • São Paulo
Camila Boehm – Repórter da Agência Brasil
Os principais índices criminais, entre os quais homicídios, latrocínios, estupros, roubos e furtos em geral e de veículos, caíram em setembro deste ano no estado de São Paulo, na comparação com o mesmo mês do ano passado. Os dados foram divulgados hoje (25) pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) estadual.

Os registros de homicídio doloso caíram 6,01%, passando de 283 para 266, e a quantidade de vítimas deste crime caiu 7,17%. Foram 272 pessoas mortas intencionalmente em setembro, ante 293 no mesmo período de 2016. As taxas de mortes correspondem a 7,73 casos e 8,24 vítimas de homicídio a cada 100 mil habitantes.

Já os casos registrados de estupro mantiveram-se estáveis. O total de boletins de ocorrência, neste crime, passou de 953 para 951, na comparação anual, o que representa queda de 0,21%.

As ocorrências registradas de latrocínio diminuíram 65,63%, de 32 para 11 casos. O número de vítimas desse crime caiu 66,67% (de 33 para 11).

Roubos e furtos
Os roubos de veículos caíram 15,43% em setembro – foram 5.321 ocorrências no mês passado, ante 6.292 em setembro de 2016. Os furtos de veículo caíram 8,30% (de 9.448 para 8.664).

Roubos em geral tiveram queda de 16,32%, passando de 27.631 para 23.122 casos, e os furtos, 4,99% no mês passado, em relação ao mesmo período do ano anterior, caindo de 42.760 para 40.628.

Os roubos de carga diminuíram em setembro, pela primeira vez no ano. A queda foi de 15,95%, e o número de boletins de ocorrência do tipo passou de 903 para 759. Os roubos a banco baixaram 81,82% em setembro deste ano, de 11 (em 2016) para dois registros (em 2017).

Prisões
Houve aumento de 2,26% nas prisões feitas em setembro deste ano, passando de 15.309 para 15.655.

No mesmo período, houve aumento de 17,17% nos registros de flagrante de tráfico de entorpecentes, de 3.536 para 4.143. Em setembro, foram apreendidas 1.242 armas de fogo das ruas pelos policiais.

Também em setembro, o total de drogas apreendidas cresceu 62,27%. A quantidade passou de 13 toneladas, em 2016, para aproximadamente 21 toneladas no mês passado.

Capital
A capital paulista também teve queda nas ocorrências criminais em setembro. Os casos de homicídio doloso baixaram 14,71%, e o total passou de 68 (em 2016) para 58 (em 2017), com 6,15 casos de homicídio para cada 100 mil habitantes.

Houve queda de 4,29% no registro de estupros. O total de boletins de ocorrência passou de 233 para 223. Em relação ao registro de latrocínios, a cidade teve queda de 87,50%.
Edição: Nádia Franco
 

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Segurança é vida



Trabalho exemplar de inteligência evita roubo bilionário em SP




 Governador Alckmin elogia ação que durou três meses e resultou na prisão de 16 criminosos, sem feridos nem disparos de armas de fogo
ter, 03/10/2017 - 12h16 | Do Portal do Governo


Na noite da última segunda-feira (2), a Polícia Civil de São Paulo impediu o que seria o maior roubo a bancos da história e prendeu 16 criminosos envolvidos na ação. O crime poderia resultar em um roubo de R$ 1 bilhão e um túnel de 600 metros já havia sido escavado, com destino ao cofre da base de distribuição do Banco do Brasil, localizado na Zona Sul de São Paulo.

Na manhã desta terça-feira, em coletiva organizada para explicar toda a ação, o governador Geraldo Alckmin esteve presente e elogiou o trabalho realizado pela polícia. “Venho trazer nossa palavra de cumprimentos à Secretaria de Segurança Pública, nossa Polícia Civil, ao DEIC (Departamento Estadual de Investigações Criminais) e toda a equipe que se dedicou a esse trabalho de inteligência”, agradeceu Alckmin.

“Foi um trabalho exemplar de inteligência, tecnologia, antecipando a ação criminosa. Dezesseis presos! Fruto de três meses de trabalho, de análise cuidadosa, bem feita e em sigilo. E a prisão dessa quadrilha, com indícios de envolvimento de outros grandes crimes no Brasil. É um quadrilha altamente especializada… Inclusive a construção de túneis, com quase quatro milhões investidos nessa ação”, detalhou o governador.

Em seguida, o delegado Fábio Pinheiro Lopes, da Delegacia de Roubo a Bancos do Deic, explicou que a investigação teve início há cerca de três meses. “Começou um burburinho de uma ação bilionária em São Paulo. Passamos a determinação para procurar o que iria acontecer e levantamos a quadrilha há três meses. Começamos a monitorar e há um mês identificamos o QG da quadrilha, na Zona Norte. E em 15 dias conseguimos identificar onde seria o túnel”, disse o delegado, explicando que somente o cofre da base de distribuição do Banco do Brasil, em Santo Amaro, armazena essa quantia em São Paulo.


Depois, a Polícia Civil esperou um momento em que os líderes estariam reunidos para efetuar a prisão, que ocorreu sem qualquer disparo de arma de fogo e sem feridos. O delegado Lopes detalhou que o túnel já estava pronto e impressionou todo o trabalho de engenharia envolvido na ação. Havia serralheria, equipamentos de última geração e toda a infraestrutura de trabalho para a realização da obra, que estava perto do fim, tanto que já havia trilhos e dez carrinhos que seriam usados na retirada do dinheiro. Seriam, não fosse a ação da Polícia Civil.